sábado, 3 de dezembro de 2016

Igual ao governo Temer. Por economia, piloto do voo da Chapecoense matou mais de 90% das pessoas a bordo

Que o avião que transportava a equipe da Chapecoense para a Colômbia caiu principalmente por falta de combustível , é ponto pacífico. O coronel da Aeronáutica colombiana que comandou as buscas no local deu entrevistas declarando que não havia combustível algum no avião. Pane seca.

Se o comandante do avião houvesse feito um pitstop em Bogotá e colocado um pouco mais de combustível, é quase certo que a tragédia não teria acontecido.

Segundo um especialista em aviação entrevistado pela Folha, o custo total desse pitstop, incluindo combustível e taxas, seria de R$ 10 mil.

Mas o piloto, que também era sócio do avião, preferiu economizar e arriscar a própria vida e a dos demais a bordo. Deu no que deu.

Nisso ele é igual ao golpista Fora Temer, que com suas medidas econômicas já produziu 12 milhões de desempregados, estados e municípios quebrados, fábricas paradas, lojas fechando e a promessa do pior natal dos últimos 20 anos no comércio.

Triste ver aquela tragédia como metáfora cruel da nossa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Gostou muito? Comente também. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, divulgando-o ou com uma assinatura mensal (apenas R$ 10) clicando aqui: https://pag.ae/7UhFfRvpq ou uma doação direto na conta: Banco do Brasil. Antonio Mello agência: 0525-8 conta: 35076-1
Obrigado