domingo, 12 de fevereiro de 2017

Ministro e deputado, sogro e genro, Angorá e Botafogo, Moreira Franco e Rodrigo Maia na corrupção da OAS


Em 2013, o ministro-chefe da secretaria da Aviação Civil de Dilma e o deputado federal , o sogro do deputado e o genro do ministro, o Angorá da Odebrecht e o Botafogo também da Odebrecht, o hoje ministro do golpista Temer e o deputado que agora é presidente da Câmara, Moreira Franco e Rodrigo Maia, os dois trocaram informações entre si sobre licitações nos aeroportos de Minas —Confins, e Rio de Janeiro — Galeão, Tom Jobim, e essas informações foram passadas para a OAS, que teria presenteado Rodrigo Maia com R$1 milhão.

Informações naturalmente privilegiadas que o cargo de ministro supervisor das licitações conferia a Moreira Franco no governo Dilma.

Ambos, Angorá e Botafogo, já haviam sido delatados pela Odebrecht. Agora, investigação da Polícia Federal indicia Rodrigo Maia em inquérito por favorecimento e corrupção em relação à OAS.

Rodrigo Maia, é bom lembrar, foi indicado pelo golpista Temer, apoiado por ele na reeleição para a presidência da Câmara. Como já escrevi aqui no blog algumas vezes, corrupção é condição necessária para participar do governo golpista. Não escapa um.


A cabeça de Maia já está pedida. Assim como a de Moreira Franco, embora este não tenha sido nem citado no inquérito — estranhamente, pelo relacionamento próximo que tem com Maia.

Aliás, como curiosidade, ficou famosa no Rio a cena criada por um grupo de manifestantes quando do casamento de Rodrigo com a filha de Moreira Franco. Eles portavam cartazes com a frase: não procriem.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Gostou muito? Comente também. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, divulgando-o ou com uma assinatura mensal (apenas R$ 10) clicando aqui: https://pag.ae/7UhFfRvpq ou uma doação direto na conta: Banco do Brasil. Antonio Mello agência: 0525-8 conta: 35076-1
Obrigado