domingo, 15 de outubro de 2017

Na Venezuela pré-Chávez o povo enganava a fome com ração. Só que chamavam a coisa pelo nome: Perrorina, comida de cachorro


Perrorina, ração de perro, cachorro em espanhol. Como mostra imagem reproduzida aqui [clique nela para ampliar] na Venezuela, antes de Chávez, o povo matava a fome com ela.

Não era uma política de governo, como a que Doria quer implantar em São Paulo. O povo comia por necessidade.


Na matéria,  uma mulher conta que passou o dia catando restos de alimentos que ainda davam para comer, pegou um pouco de massa picada e ração de cachorro para fazer uma sopa.

A Perrarina oficial é fabricada pela Nestlé na Venezuela (não sei se existe ou existiu no Brasil) e levava milho, cevada, soja, acrescida de vitaminas e carne e osso ou frango e carne, nas duas versões.



Ao contrário do ufanismo de Doria, que chega a chamar sua ração de "abençoada", o povo tinha vergonha de confessar que a utilizava na alimentação humana, o que fica registrado no diálogo do repórter com um comerciante:



- Los clientes le están comprando más Perrarina, ¿le constan que se la comen? 
Y responde:—Lo que sé es que no tienen perros. 

Os clientes estão comprando mais Perrarina. Sabe se eles a estão comendo?
Ele responde: - O que sei é que não têm cachorros.

E em São Paulo, têm?

Ajude o Mello a tocar o blog. Faça uma assinatura. É seguro, rápido e fácil
Sua assinatura faz a diferença e ajuda a manter o blog

Apenas R$ 10. Todos os cartões são aceitos. Você pode cancelar a assinatura a qualquer momento


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Gostou muito? Comente também. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, divulgando-o ou com uma assinatura mensal (apenas R$ 10) clicando aqui: https://pag.ae/7UhFfRvpq ou uma doação direto na conta: Banco do Brasil. Antonio Mello agência: 0525-8 conta: 35076-1
Obrigado