terça-feira, 28 de agosto de 2018

Sem julgar Moro, relator dos processos contra o juiz deixa CNJ após dois anos

Ministro João Otávio de Noronha


Primeiro, o corregedor João Otávio de Noronha ficou com os processos sobre Moro e não os levava a julgamento. Depois, foi a vez da presidente do CNJ e também do STF Cármen Lúcia não pautar os processos contra o juiz Moro, que podem levar à sua demissão.

Agora, desse "fardo" o ministro João Otávio de Noronha se livrou. Após ficar dois anos como corregedor no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Noronha deixa o cargo e vai para o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

E por que falei em "fardo" que seria julgar o juiz Moro? Simplesmente, porque Noronha considera Moro um herói, como declarou à imprensa.

O Brasil precisa de muitos Moros e nós do Judiciário temos que garantir a justiça de primeiro grau. [Temos que ] saudar o juiz Moro pela coragem e honradez.
Leia mais aqui: Juiz relator do caso que pode levar à demissão de Moro falou assim sobre ele: 'O Brasil precisa de muitos Moros'



Clique aqui e passe a receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp
Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos

Assine a newsletter do Blog do Mello

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Gostou muito? Comente também. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, divulgando-o ou com uma assinatura mensal (apenas R$ 10) clicando aqui: https://pag.ae/7UhFfRvpq ou uma doação direto na conta: Banco do Brasil. Antonio Mello agência: 0525-8 conta: 35076-1
Obrigado