domingo, 30 de junho de 2019

Antas, Moro, Dallagnol e procuradora desafiam Greenwald e recebem uma aula de jornalismo do prêmio Pulitzer. Confira

Greenwald com oclinho de zuera

A procuradora Monique Cheker foi citada nas mensagens divulgadas pelo Intercept falando mal do Moro.

Resolveu se queixar ao site das Antas, órgão oficioso do bolsonarismo, fruto envelhecido do jornalismo de esgoto que levou a Veja à falência.

Eles começaram uma campanha tentando desqualificar um jornalista prêmio Pulitzer, o maior do jornalismo mundial.

Greenwald resolveu responder com uma aula de jornalismo, usando a mesma arma deles, seguidas postagens no Twitter do The Intercept Brasil, de 1 a 15, que reproduzo a seguir.
1/15 Em nota enviada a um site, e não ao @TheInterceptBr, a procuradora @MoniqueCheker diz que não reconhece como suas as mensagens publicadas na reportagem mais recente da #VazaJato. Para que não haja dúvidas, vamos mostrar como checamos seu nome. Segue:
2/15 Nesse caso (como em outros), buscamos em outras conversas do arquivo da #VazaJato as evidências sobre a identidade de uma pessoa. No caso de @MoniqueCheker, recorremos ao chat privado dela com @deltanmd. Em 9 de setembro do ano passado eles travaram o seguinte diálogo:
3/15 Deltan – 00:17:33 – Mo, como faço a citação do artigo? Preciso dos dados da obra em que estará inserido. Vc me passa ou indica nome se estiver já online?
4/15 Monique – 01:10:06 – Pela ABNT, faça a citação e coloque a informação “no prelo” após o nome do autor.
5/15 Monique – 01:11:50 – O nome da coletânea será “Desafios contemporâneos do Sistema Acusatório”
6/15 Uma simples busca pelo nome do livro citado a Deltan por Monique nos levou ao site da Amazon:

7/15 A pré-visualização da livraria online permite acessar o índice do livro. Nele, consta o nome de @MoniqueCheker (e de nenhuma outra Monique, apenas ela), confirmando o que ela disse a @deltanmd. Monique é Monique.
Imagem
8/15 Mas isso não nos satisfez. Consultamos também a base de dados do portal de transparência do @MPF_PGR para checar quantas Moniques havia no período no quadro de membros ativos do MPF: https://t.co/A3ONWy6hOw
9/15 O link se refere aos membros ativos em novembro de 2018, quando houve a conversa. Uma simples busca nominal nele revela que existe apenas uma procuradora chamada Monique no grupo: @MoniqueCheker.
10/15 Mas e se a Monique que participa do grupo BD fosse uma procuradora aposentada? Para excluir essa possibilidade, consultamos também a base de membros inativos do @MPF_PGR em novembro de 2018:.https://t.co/vSzuxg3LSB
11/15 Qual o resultado? Nenhuma procuradora aposentada nas datas se chamava Monique. Concluímos, assim, acima de dúvida razoável, como gostam de dizer os juízes, que a Monique que aparece no grupo BD é @MoniqueCheker..
12/15 Também encontramos em informações públicas o nome de um parente muito próximo de Monique, citado por ela nos chats privados. Não diremos de quem se trata para não expor uma pessoa que não é pública, mas isso foi útil para a confirmação da identidade da procuradora...
13/15 Mas e os diálogos? Ah, sim: jamais editamos o CONTEÚDO das mensagens, que são publicadas inclusive com eventuais erros de digitação cometidos pelos participantes das conversas.
14/15 Os nomes dos destinatários aparecem no arquivo como estão originalmente nos chats e, muitas vezes, estão sem sobrenome. Por isso, eventualmente é necessário investigar o sobrenome correto e acrescentá-lo – como no caso de @MoniqueCheker, que aparece apenas como "Monique"...
15/15 Quando erramos, assumimos o erro. Dissemos inicialmente que @MoniqueCheker trabalha atualmente em São Paulo, mas erramos: ela trabalha no Rio de Janeiro. A correção deste erro (uma informação que não está nos chats e não é crucial para a reportagem) está indicada no texto..
Por que esses procuradores, em vez de se queixarem às antas, não entregam seus celulares para serem periciados?

O que têm a dizer quanto a um deles que já roeu e acorda e confirmou a veracidade dos diálogos, conforme publiquei aqui em Moro, Dallagnol e Monique mentiram. Procurador do grupo do Telegram confirma diálogos do Intercept?

Siga o Blog do Mello no Twitter: @blogdomello  No Instagram: @blogdomello

Com seu apoio o Blog do Mello é e vai continuar a ser de livre acesso a todos, e sem popups de propaganda




Leia também:
Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Gostou muito? Comente também. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, divulgando-o ou com uma assinatura mensal (apenas R$ 10) clicando aqui: https://pag.ae/7UhFfRvpq ou uma doação direto na conta: Banco do Brasil. Antonio Mello agência: 0525-8 conta: 35076-1
Obrigado