domingo, 7 de junho de 2020

Domingo com Poesia. Casas de las Americas

Galo cantando, foto de Hugo Mota Miranda

Tenho quatro livros publicados [leia sobre eles clicando na imagem aqui no blog], escrevo peças, roteiros, letras de músicas, escrevo este blog há 15 anos, sozinho. Poesia é raro. Há anos escrevi esta aqui. E gostei. O que você acha?
Casas de las Americas

o dia começa com uma pedrada no sol.
aberto, observe-o, hemorrágico,
abundante, abre as trevas,

mostra o trágico
despertar da cidade, desenterra-a.
num canto: cama de tacos, 
pai, mãe, filhos, baratas,
móveis quebrados, fome e ratos,
todos ainda intactos 
a seu, do sol, contacto.
mas, ei-lo, que já invade,
magnânimo,
um estilhaço de raio,
ainda vermelho, embora exangue.
ei-lo invadindo, alexandre,
o reino anêmico, que range.
o pai, até a janela.
a mãe, à água e panela.
o galo canta cucurucu!
da janela, o homem estica
os braços
estalando a verdadeira cordilheira
de ossos
e grita: bom dia!
do outro lado de nossa América
do sul
a miséria vizinha replica: buenos dias!







Recentes:

Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
(Apenas Assinantes)

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, um dos poucos sem popups de anúncios, que vive apenas do trabalho do blogueiro e da contribuição dos leitores.
Colabore via PIX pela chave: blogdomello@gmail.com
Obrigado.