quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

'Antes de Viajar', mais um conto do livro A Metáfora de Drácula, de Antonio Mello


Todos fomos jovens um dia e muitos vivemos situações semelhantes à descrita no conto "Antes de Viajar", publicado no meu livro A Metáfora de Drácula, pela Livraria José Olympio Editora, 1982. Uma curiosidade é que o conto só tem diálogos.

Que tal embarcar nesse túnel do tempo de volta à adolescência?

ANTES DE VIAJAR

Na casa de muita gente uma coisa é certa, irrevogável, definitiva, a hora do almoço (treze), o resto é dúvida de cabeças loucas, cabelos secos, em frangalhos, espiga ou réstia, pele bronzeada desse verão.

Joana, a casa dela, quando a família lá, almoça às treze. Joana, a família não em casa, foi, às treze, escovar os dentes, acordando àquela hora.

Edifício. Um, dois, três, quatro, cinco, seis e. .. já! Barulho da porta do banheiro fechando: tract. Sim, cada cabeça sua sente-se sã. Os mágicos e, além deles, os não-mágicos passam a vida iludindo pessoas incautas, os outros. Palmas.

"Quem fez o discurso?"

"Desliga a vitrola."

"Tem cigarro?"

"Eu não consigo entender bem esse tipo de transação, você entende?"

"Não sei. Se eu soubesse do que você tá falando."

"Dos pássaros."

"Ah! ... O que é que tem?"

"Eu queria saber como é que a gente tem que fazer, quantas vezes trocar de água, essas coisas."

"Eu também não entendo nada de passarinho."

"E Joana?"

"Escovando os dentes."

"Mas, como é que é? Vocês vão ou não vão a Guaratiba?"

"Eu não sei."

"Eu tô a fim."

 "E Joana?"

"No banheiro, escovando os dentes."

"Ela vai?"

"Não sei. Disse que ia."

"O que é que você acha?"

"Como é que eu posso saber?"

"Alguém entende alguma coisa de pássaros?"

"Passarinho?"

"É."

"Não, eu não entendo nada. Você tem passarinho? Se tem eu quero ver, me mostra."

"Lá na área. Lá em casa."

"Eu quero ver. Ele canta?"

"Cantar não canta, mas fica em pé que é uma beleza."

"Pigmeu, ninguém te chamou na conversa."

“É, ele é muito engraçadinho."

"Use e abuse. Mate Leão."

"Que gracinha!'

"Acha? Mamãe sempre disse isto."

"É o filhinho da mamãe, gracinha!"

"Mônica, não esquenta!"

"Eu? Esquentar?! Você tá louco!"

"E eu tô louco pra ir ao banheiro. Uma caganeira ... "

"Foi aquele mel todo ontem, eu avisei."

"Joana ainda não saiu, não?"

"Não."

"Que saco!"

"Mas, e aí?"

"O quê?"

"Ninguém me respondeu: ninguém entende nada de passarinho?"

"Ih, mas que papo brabo!"

"JOANA SAI DESSA MERDA!"

"Mulher no banheiro e moedinha no fundo do bolso: pra sair é foda."

"Vocês também, pô!"

"Que nada! Tá demorando!"

"Que pressa é essa?"

"Ah, é! É pressa? Então explica aqui pro meu estômago."

"É, eu tô com pressa também. Se demorar o pessoal lá em Guará come tudo."

"Você também só pensa em comer."

"E daí?"

"Olha aí, Joana saiu."

"Pô, até que enfim! Pensei que tinha, burululu, se afogado."

"Que que há, não se pode nem mijar em paz?"

"Falaram que você ia escovar os dentes. Se soubesse que ia demorar tanto, tinha pedido pra ir na frente."

"Então vai logo. Vê se não demora."

"Joana, você entende alguma coisa de passarinho?"

"Passarinho? Pti, pti, pti, pti, ptiu?"

"É, passarinho."

"Entender o quê?"

"Entender, ora!"

"Bem, sei que voa."

"Sabia que ela ia te sacanear."

"Não liga, tô brincando. Não entendo nada, por quê?"

"Ganhei um do Paulo."

"E você, Paulo, também não entende nada?"

"Não."

 "Pessoal, a gente vai ou não vai pra Guará?"

 "O Pigmeu tá no banheiro."

 "Pô, agora é o Pigmeu, merda!"

"E é merda mesmo!"

"Que gracinha!"

"Não tô com saco de ficar esperando não."

 "Então vai na frente sozinho. Ninguém tá te prendendo."

"Pô, que agressão!"

"Você vai, Joana?"

"Não sei. Ainda tô pensando."

"Eu também sou assim, só gosto de decidir as coisas na hora."

 "Pô, é tão bonitinho!"

"Quem?"

"O passarinho."

"Botou nome nele?"

"PIGMEU, SAI DO BANHEIRO!"

"Não, ainda não pensei."

"Põe 'Dínamo'."

 "Dínamo?! Aquele negócio de carro? Que mau gosto!"

"Não, o time."

"Futebol?! Baixo nível! Nome de time de futebol em passarinho?"

"É, fica pesado, não serve."

"Olha, gente, eu vou abrir. Quem não vai que fique. Tá um papo muito brabo aqui."

"Dá um tempo aí, o Pigmeu já tá saindo."

"Mas, diz aí, Mônica, é passarinho o quê, curió?"

"Sei lá."

"É o quê, Paulo?"

"Canário. ''

"Amarelinho ?"

"Amarelinho."

"Canta legal?"

"Se canta! E começa a cantar cedinho."

"Acho um saco."

"Pô, você tá de mau humor, hein!"

"Não, tô falando o que eu acho."

"O pessoal lá em casa tá curtindo."

"Passarinho é bonitinho, mas eu não gosto em gaiola."

"Ai, ai, ai! Assim eu não aguento! Defensora de animalzinho! Que coisa braba!"

"Braba por quê? Acho mesmo maldade o bichinho preso na gaiola."

"É? Então solta. Solta. Ele vai comer o quê? Prego?"

"Solta no Jardim Botânico."

"Ah, tá bom, tá bom!"

"Saiu o Pigmeu."

"Ah, tirei tudo de ruim que tinha dentro!"

"O banheiro, então, deve estar uma beleza!"

"Uma beleza patética!"

"Pô, e eu queria escovar meus dentes."

"Você ainda não escovou? E aquele tempão que ficou lá?"

"Tava mijando, não disse?"

"Agora vai ter que esperar. Não tinha Pinho-Sol e tá fedendo que é uma beleza. Caprichei."

"Bom, gente, eu vou embora."

"Vai logo! Fica ameaçando a toda hora e não vai, que saco! Se tá a fim, se manda!"

"Se eu for vocês ficam sem carro."

"Ah, vai bancar o gostoso agora? És Rodolfo Valentino?"

"Ih, olha aí, Mônica, por que você não põe Rodolfo Valentino?"

"Pôr Rodolfo Valentino onde?"

"No passarinho."

"É um nome muito grande pra passarinho."

"Então põe 'Rô' e todo mundo fica entendendo 'Rodolfo Valentino'!"

"O pessoal hoje tá tão engraçadinho!"

"Você ainda não viu nada."

"Quem vai estar lá?"

"Onde?"

"Em Guará."

"O pessoal: a Lena, o Rodrigo, aquela menina, a Fatinha, acho que o Beto ... "

"O Pirão vai?"

"Pirão, não sei. O pessoal ficou de passar na casa dele, mas, você sabe, aquele ali se não tá ligado tá completamente apagado."

"Eu encontrei com ele ontem e ele falou que ia. Era só o pessoal passar lá."

"Bom, se ele falou ... "

"Se ele falou, ninguém acredita. Que ele é maluco."

"Quem mais?"

"Muita gente."

"Quem?"

"Diz logo: quem você quer saber?"

"Aquele brotinho."

"Qual brotinho?"

"Aquela que anda com a Simone."

"Com a Simone? Aquela gordinha, a Cristina?"

"Que é isso? Eu falei brotinho, pô!"

"Sei lá. Cada um com seu gosto.'"

"Eu tenho cara de quem gosta de merda?"

"Até que tu tem uma cara de quem gosta de uma merdinha sim."

"Pigmeu, vai tomar no eu."

"Gente, como é que é?, e Guará?"

"Peraí, tô falando aqui com o Paulo. É aquela, aquela que o irmão tá besteirão."

"Ah, que grande pista! O que tem de maluco no mundo, puta que pariu!"

"Sônia?"

"É, acho que é. Lourinha, não é?, um broto!"

"Acho que vai com o Zeca. Parece que tá com ele."

"O quê?! O Zeca vai?! Pô, o Zeca peida de noite!"

"Pigmeu, não fala merda."

"Pô, você não viajou com ele! Fui uma vez com ele pra Búzios, puta que pariu, o cara é podre!"

"Pô, transando com o Zeca, é? Sacanagem."

"Parece."

"Mau gosto. Olha, não esquenta a mente. Ele dá uns peidos lá em Guará e ela manda ele tomar no cu, acredita em mim, conheço a fera."

"Tomara."

"Por que você não trouxe o Rô?"

"É, não sei, nem pensei nisso. A gente podia passar lá em casa e apanhar, né?"

"Não, nem vem, passarinho, não!"

"Que que você tem contra passarinho?"

"Ah, Joana, eu não tenho nada! Não tô com saco de discutir com você."

"Ah, o velho amor, o velho amor!"

"Pigmeu, fica na sua, não se mete. Diz aí, Carlos, o que é que você tem contra passarinho?"

"Nada. Pronto, tá satisfeita?"

 "Não, eu quero que você diga o que você tem contra passarinho. "

"Joana, você não ia escovar os dentes? PORRA, ASSIM NÃO VAI DAR!"

"Calma, gente, calma."

"Eu não entendo isso."

"O quê?"

"Esse papo todo."

"Que que tem?"

"Sei lá."

"Bonita a tua camisa."

"Mônica, a gente passa lá e pega o Rô."

"Comprei na Company."

"Ih, aquilo anda tão desfigurado!"

"Aí Pigmeu, falando difícil!"

"Pra quem pode."

"Aposto que tu leu isso na prova final, não sabe nem o que quer dizer."

"O quê? Desfigurado?"

"Ih, que papo brabo!"

"É mesmo! Falar de aula!"

"Fiquei em dependência."

"Todo mundo depende, irmã, não se impressione."

"Puta que pariu, isso aqui tá de uma babaquice! Luís, tá contigo o fumo?"

"Tá, por quê?"

"Aperta unzinho."

"Não, vamos embora. Vai ficar tarde."

"O que é que tem?"

"Joana ainda nem escovou os dentes."

"Tô indo, tô indo!"

"Enquanto ela vai, aperta unzinho."

"Você vai fumar?"

"Claro!"

"Todo mundo vai fumar?"

"Eu vou."

"Eu também."

"Eu também vou. É só escovar os dentes, é rapidinho."

"Então, vou apertar unzão."

"Isso aí, unzãozão!"

"Pigmeu, segura a fissura."

"Vem cá, e se eu levar umas sementes pro Rô?"

"Ih, ele vai ficar loucão!"

"Que nada; vai dar é bode, dor de cabeça no bichinho!"

"Que loucura! Acho que ele ia cantar, é isso aí, ia ficar ligadão em cantar, ia ficar cantando, cantannndo, cantannndo, ia morrer cantando lindo!"

"Acho que o Pigmeu tá certo."

 "E então? Como não? É isso aí! Aplica o canário, Mônica!"

"Não, eu agora tô com medo dele ficar com dor de cabeça. Ele tem uma cabecinha tão pequenininha!"

"Do que vocês tão falando?"

"Do Rô."

"Que que tem?"

"A Mônica tá pensando em dar as sementes pra ele."

"Tô não, tava."

"Será que ele vai curtir? Se não é bom pra gente ... "

"Passarinho é diferente, vai ver ele vai gostar. Não come alpiste?"

"Ah, tu quer comparar, Pigmeu?"

"Quero. Ninguém aqui deu semente pra passarinho, como é que pode dizer que é ruim? Eu acho que é é egoísmo. O Pirão falou ... "

"Pirão... Pirão ... Pirão é maluco!"

"Mas ele falou que botou lá pro dele e o bichinho cantou pra caralho."

"Eu não vou dar pro meu não!"

"Você que sabe. Se fosse meu, eu dava."

"Desse tamanho tá bom?"

"Tá nada, é pouco, vê quanta cabeça!!"

"A gente ainda vai viajar."

"Eu que vou dirigindo sei o tamanho da minha. Isso aí é pouco."

"Isso aí, tem que ser dois desses pelo menos."

"Dois?"

"Dois."

"Eu ajudo. Aperto o outro."

"Não precisa, Pig, eu aperto o outro."

"Pig é a puta que pariu!"

"Não esquenta, Pigmeu."

"Pigmeu tudo bem, mas Pig é porco, e porco é a puta que pariu!"

"Comprei um disco lindo."

"É? Qual?"

"Um do Hermeto."

"Hermeto?"

"Hermeto é um chato."

"Chato nada! Ele é louquíssimo!"

"Também acho."

"Acha o quê?"

"Que ele é louquíssimo."

"O disco tá lindo. Ele tem um astral incrível!"

"Põe aí."

"Vem cá, e Guará?"

"Pega aí pra mim, tá do teu lado."

"Qual é?"

"Esse aí de capa vermelha."

"Esse aqui?"

"É."

"Desde quando isso aqui é vermelho?"

"Que cor que é?"

"Carmim."

"Ah, carmim, que coxin gostosin!"

 "Pigmeu, você tá mesmo uma gracinha."

"Gracin. "

"O chorinho é lindo, lindíssimo!"

"Chorin. "

"Deixa eu acender logo esse aqui."

"Peraí, deixa eu acabar de fazer o outro."

"Pô, o que é que tem?"

"Eu não gosto."

"Vem cá, gente, Guará, pelo visto, vai dançar mesmo, não é?"

"Que é isso, calma aí, a gente fuma e vai."

"Angra já foi assim outro dia e dançou."

"Liga aí o amplificador."

"Onde é?"

"Nesse botãozinho aí."

"Esse aqui?"

 "Pigmeu, aproveita que tu não tá fazendo nada e apanha aquela capa ali pra mim."

"Ligou?"

"Ligou."

"Toma."

"Tá legal."

"Eu tô pensando no Rô, a gente vai apanhar ele, não vai?"

"Vamos."

"Pô, deixa eu acender, você já tá acabando!"

"Vai, acende, não enche o saco!"

"Tem alguém fumando aí?"

"Eu tô".

"Me empresta o cigarro."

"Vocês vão ver que disco!"

"É, eu já ouvi."

"Gostou ?"

"Achei legal."

"Legal?! É incrível!!!"

"Pigmeu, devolve o meu cigarro."

"Toma, toma, isso dá câncer!"

"Roda pra cá também."

"O outro já tá pronto." "Toma aí o cigarro."

"PORRA VOCÊS NÃO FECHARAM A JANELA!"

"Deixa que eu fecho."

"Roda pra mim."

"Como é que é, devolve aí."

"Já vai."

"Ouve só esse lance de flauta."

"Pô, não tem nada cantado não, é? Só gosto de música com letra, gente cantando."

"Toma, Joana."

"Peraí, fuma sem falar, eu quero ouvir."

"Ah, não fode!"

"Não é lindo?"

"Que barato!"

"Passa aí."

"Cala a boca, Pigmeu."

"Cala a boca é porra nenhuma. Joana segurou o fumo e não devolve."

"Toma esse aqui."

"E cala a boca."

"Peraí, gente, dá um tempo, vamos ouvir a música!"

"Aumenta um pouco. Já que não tem letra, pelo menos põe volume."

"Aí."

"É incrível!"

"Rola na minha aí, pô!"

"Peraí, porra, cala a boca!"

"Lembra aquele lance do Hermeto com porco no festival?"

“Ah, era o Pig, o Pig!"

"Pig é a puta que o pariu, palhaço!"

"Peraí, cala a boca!"

"O babaca aí tá a fim de me sacanear."

"Peraí, Luís, deixa o Pigmeu na dele pra gente poder ouvir."

"Tá bom, tá bom."

 "Como é mesmo o nome do passarinho?"

"Rô."

"Esporrante!"

"Pssssssss !"

"Que repressão! Qual é?"

"Se quer falar, se manda!"

 "Tá certo, tá certo! Se é para o bem de todos e felIcidade geral da nação diga ao povo que eu ... "

"Psssssssssssssssssss!"

..........






Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui

Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos




Recentes:


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Gostou muito? Comente também. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, divulgando-o ou com uma colaboração pelo PIX blogdomello@gmail.com