quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Guedes dá ultimato a Bolsonaro: Ou dá (as reformas que Guedes quer) ou (Guedes) desce


O Jornal Nacional de ontem mostrou um ministro Guedes completamente transtornado, cabelos mais desalinhados do que de costume e reclamando de forma indireta de Bolsonaro, que não assina as reformas pedidas por ele.

E o que que Guedes e o mercado, que são a mesma coisa, querem: uma Reforma Administrativa, que tire direitos e empregos dos trabalhadores, e uma privatização geral.

Ontem, dois secretários especialíssimos para Guedes pediram demissão, e Guedes colocou a culpa disso em Bolsonaro, sem dizê-lo diretamente.
“Se o presidente da República quiser mandar alguma reforma, ela é mandada. Se ele não quiser, não é mandada. Quem manda não é o ministro. Quem manda não são os secretários, e o secretário quando o negócio não tiver andando, ele pode desistir ou ele pode insistir. Então, é simplesmente isso que aconteceu. Em nome da transparência, o Salim hoje me disse o seguinte: ‘A privatização não está andando. Eu prefiro sair’. E o Uebel me disse o seguinte: ‘A reforma administrativa não está sendo enviada. Eu prefiro sair’. Esse é o fato. Essa é a verdade. Eu não escondo. Então, você fala assim. Houve uma debandada? Hoje houve. Hoje houve uma debandada”, disse Guedes.[JN]
O caso é que, para azar de Guedes, Bolsonaro provou uma subida de sua aprovação entre os mais pobres, especialmente no Nordeste, graças ao auxílio emergencial, e gostou da coisa.

Bolsonaro é oportunista e sem qualquer escrúpulo, como vemos na pandemia em que fez uma aposta contra a ciência e continua com ela, alimentando sua turma fanática.

O que Guedes e Bolsonaro querem no momento são coisas opostas: enquanto Guedes quer cortar custos e privatizar, Bolsonaro quer aumentar sua popularidade, mesmo que isso custe contrariar Guedes e o Mercado.

Guedes sente que sua batata está assando, como antes a de Moro, tanto que mandou recado a Bolsonaro em outro trecho da mesma entrevista:
"Os conselheiros do presidente que estão aconselhando a pular cerca e a furar teto vão levar o presidente para uma zona de incerteza, uma zona sombria. Uma zona de impeachment, de irresponsabilidade fiscal e o presidente sabe disso."
Sabe e fez essa opção, Guedes. Por isso, o dá ou desce ao presidente, que deve ter como resultado um breve pedido de demissão do posto Ipiranga.



Para receber notificações do Blog do Mello no seu WhatsApp clique aqui
Você vai ser direcionado ao seu aplicativo e aí é só enviar e adicionar o número a seus contatos




Recentes:


Assine a newsletter do Blog do Mello.
É grátis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou? Comente. Gostou muito? Comente também. Encontrou algum erro? Aponte.
E considere apoiar o blog, divulgando-o ou com uma assinatura mensal (apenas R$ 10) clicando aqui: https://pag.ae/7UhFfRvpq ou uma doação direto na conta: Banco do Brasil. Antonio Mello agência: 0525-8 conta: 35076-1
Obrigado